Tag Archives: Amazon

Kindle: Um review

Bom, meu Kindle chegou dia 17. A primeira impressão, quando você olha praquela tela dele, é mágica.

Pra quem não conhece, ou ainda não viu um na mão, a sensação é impressionante. Realmente não parece uma tela normal, a sensação é de papel de verdade. O choque inicial demora pra passar, mas fica a boa sensação, já que a tela dá pouquíssimo desgaste visual, o mesmo desgaste que teria ao ler de um papel normal.

Não há iluminação na tela, o que significa que ler no escuro não é possível. Existem capas para Kindle que vem com luzes acopladas que se alimentam da própria bateria do Kindle, mas a minha opção foi uma capa que não é usada durante a leitura, só para guardar. (Uma bolsa, basicamente)

Ao desligar, o Kindle retorna a uma imagem pré-definida, uma espécie de papel de parede. Os padrões, que são feitos pela Amazon, remontam a escritores e obras de arte famosas. Mas com a possibilidade do desbloqueio é possível trocar essas imagens por aquelas que forem da própria preferência (uma das utilidades é colocar seu nome no wallpaper, em caso de perda).

Don't Panic Kindle Screensaver
Essa foi uma tela que eu peguei na internet e alterei, por exemplo

Como ele permite colocar senha para ligar, com uma tela dessas, em caso de perda, você fica com seus dados protegidos minimamente e também com um jeito de te devolverem o Kindle, caso você realmente só perca :)

Meu Kindle é o 6″ com 3G + Wifi. É possível usar o 3G dele em qualquer momento sem custo adicional para navegar na web, no entanto, download de conteúdo para o Kindle (como pdfs convertidos ou alguma outra coisa enviada para ele) é cobrado, se feito pelo 3G. É possível, pelo site da Amazon, limitar o valor máximo que deseja ser cobrado por esses serviços, e caso esse valor seja superado, o documento é automaticamente enviado para um email que seu kindle recebe ao ser cadastrado, e a partir de lá pode ser baixado pelo Wi-fi (ou se o seu modelo não tiver Wi-fi, dá pra baixar o documento e colocá-lo pela USB).

A carga via tomada demora pouco tempo, não medi, mas leva entre duas e três horas para carga total. A descarga, com o Wireless desligado, demora bastante, mais de uma semana. Com ele ligado, menos de uma semana.

Minha primeira dúvida, ao comprar o 6″ foi quanto ao tamanho. Será que não seria melhor ter pego o DX, com sua tela de 9″?

No entanto, fiquei satisfeito com o tamanho, livros são facilmente legíveis na tela de 6″. No caso de PDF, assunto que entrarei em detalhes mais adiante, é preciso rotacionar a página e rolar em cada página, mas como meu uso primário do Kindle era realmente pra leitura, isso não me incomodou.

O único uso que vi que poderia ter uma tela maior foi no caso de Mangás. Existem conversores de mangás para Kindle. Testei o Mangle, e embora dê pra enxergar, as letras ficam meio miúdas.

O browser experimental é meio capado, e tem seus problemas. Por exemplo, não é possível abrir links que apontem para nova janela. O browser dá um erro e não segue o link. Existe um browser modificado, após o desbloqueio, que parece pular esse problema fazendo com que links em novas janelas sejam abertos na janela principal, mas ainda não o testei.

O desbloqueio é, até certo ponto, de pouca utilidade. E o teclado não é feito para uso contínuo, somente para buscas rápidas no dicionário, google ou wikipedia.

O fato do Kindle não aceitar o formato epub é meio limitante. A livraria cultura, por exemplo, vende eBooks de livros nacionais, no entanto, somente em formato epub. É possível fazer a conversão, com algum trabalho, mas não é possível colocar o livro diretamente no Kindle.

Sobre a conversão de PDF, ainda não achei uma solução definitiva. A amazon disponibiliza o email para fazer as conversões, no entanto, testando alguns pdfs, notei que a conversão não é das melhores. Algumas das alternativas tentam fazer um caminho tortuoso: transformam todas as páginas de um pdf em imagem, ajeitam as imagens (cortam bordas vazias, ajustam tamanho e qualidade) e empacotam o resultado num livro. A qualidade final é boa, porém, ao menos com a versão de 6″, voltamos ao problema do Mangá, sobre o tamanho. É possível dar zoom, mas fica incômodo.

Ainda há métodos que não testei (um deles, por exemplo, envolve usar o evince, que já tem OCR embutido, para copiar o texto para o OpenOffice e gerar o .mobi a partir daí).

A amazon store é ótima, porém, pra quem não está em território americano, não há livros sem custo, ainda. Os livros de domínio público custam US$2, que acredito que seja uma espécie de taxa por edição e entrega, e os livros do project gutenberg, ao menos os que já olhei, estão melhores formatados.

No geral, posso dizer que estou bem satisfeito com o Kindle, carregar infinitos livros na mochila é ótimo, e ele é ótimo para matar o tempo em filas e consultórios.

No post que fiz antes de receber o Kindle comentei sobre uma suposta solução para obter a localização do Kindle, no entanto, mesmo investigando, ainda não consegui obtê-la. Acredito que seja uma peculiaridade do segundo modelo.

Caso você use Google Reader, ou mesmo, leia blogs e artigos online, existem duas ótimas soluções: Readability e Instapaper. Ambos fazem basicamente a mesma coisa, com um bookmark simples você consegue fazer eles guardarem o texto pra depois, no caso do instapaper ele gera uma espécie de revista eletrônica pro Kindle, e o Readability na versão free envia os artigos individualmente (embora na versão paga tenha também a opção de revista).  Isso é muito bom já que o Browser do Kindle não é muito rápido nem completo.

E essa é a minha experiência até agora. Recomendo! :)

Meu gadget a caminho: Kindle

Sempre gostei da idéia do Kindle, antes mesmo de ele se materializar e deixar de ser somente um conceito distante.

Li alguns livros no computador. Mesmo com o desconforto da tela, a vantagem de poder ter o livro quase que imediatamente após seu lançamento era ótimo.

Aí veio o Kindle, com seu eInk e a promessa de leituras com conforto total, sem a parte ruim da iluminação dos monitores. A primeira versão sofria de todos os problemas que sofrem os primeiros dispositivos de um tipo (aqueles problemas que os early adopters sempre acabam abraçando): Era caro (US$399 no lançamento por uma tela de 6″), com pouco espaço interno (200Mb contra os 4Gb atuais), mais feio e com o display pior do que é hoje em dia. Ainda assim, babei quando vi as notícias.

Fui ter contato real com um kindle muito depois, ano passado. Quando finalmente segurei um na minha mão e pude ver o impacto real da tela de eInk. Realmente, não parece uma tela. Realmente parece um papel, com uma cobertura que lembra a de uma moldura de foto.

Agora me apareceu uma oportunidade legal de pegar um. E como de costume, eu saí procurando todas as coisas legais que dá pra fazer com ele. E por isso,  resolvi fazer esse post antes mesmo do meu poder chegar e eu poder dizer pra vocês o que eu achei xD

Não são dicas novas, originais. Mas são coisas que fui coletando pela internet afora, e achei legal de juntar num lugar só (até mesmo pra eu poder ver depois). As dicas são, em geral, relativas ao Kindle 3.

Project Gutenberg – O projeto gutenberg é um projeto que guarda livros que caíram no domínio público. A maioria dos livros, pelo que vi, está em inglês. Mas acredito que tenham um ou outro em português, também. (mas, ao menos hoje em dia, se você tem um kindle, provavelmente já se acostumou a idéia de ler em inglês :P)?

Things a Kindle 3 Can Do – Isso não é nada de especial, é só uma lista de features.

Anti-Theft Idea: Algumas idéias pra prevenir furto…

About the logging (big brother): Um ótimo tópico pra acompanhar sobre as features mais bigbrother do kindle. Em especial, quero ver quando o meu chegar se consigo redirecionar a localização dele pra mim. Aí, além de anti-furto ainda consigo uma recuperação de roubo.

Comprehensive List of Kindle Hacks/Modifications: Todos os hacks que dá pra fazer depois do Jailbreak. Incluindo Screen Savers custom e até mesmo debian no kindle! :)

Bom, acho que esses são os links que eu reuni. Se achar mais algum, boto por aqui :)

 

 

Amazon e seus parceiros

Esse post tava pra ser escrito há mais de um mês, e é pra alertar sobre o quanto a gente ainda tem que reclamar sobre os serviços aqui do Brasil.

Deixa eu explicar. No fim de novembro/início de dezembro comprei um livro num dos sellers da Amazon. Pra quem nunca comprou na Amazon, além de vender da própria loja, como faz por exemplo o Submarino, a Amazon também vende produtos de pequenas lojas/vendedores, algo num estilo MercadoLivre. A vantagem é que os produtos ficam mais organizados (pois são ligados ao produto vendido pela Amazon, e não pelo nome que o vendedor colocar), e são mais baratos que os vendidos pela Amazon, normalmente.

Pois bem, comprei um livro, The God Delusion, de lá no fim de novembro e no email que recebi do vendedor, GreatBuyBooks, eles avisaram que devido ao grande volume de encomendas de fim de ano que o prazo de entrega internacional estava maior, e ia até dia 1o de fevereiro.

Quem já comprou coisas importadas pela internet sabe que esse tipo de prazo acaba sendo comum, principalmente pras modalidades mais baratas de shipping. Calculei que ia acabar chegando no início de janeiro e esqueci.

Pois bem, dia 1o de fevereiro chegou e o livro não tinha chegado. Não tinha ouvido de nenhuma greve dos correios, então mandei um único email pros caras, algo como: “Oi, tudo bem? Eu queria confirmar que vocês enviaram o produto no dia tal, porque eu vou dar uma passada no correio pra ver se não houve algum problema lá”.

E em algum tempo eles me responderam com “Olá, devido ao grande volume de fim de ano infelizmente tivemos alguns problemas de distribuição. Nós iremos solicitar à Amazon um reembolso e caso o livro chegue até você, considere-o um presente. Esperamos que você volte a comprar conosco.”

Eu fiquei impressionado. Eu nem tinha pedido reembolso e os caras se candidataram a me reembolsar? E em algumas horas a Amazon confirmou o reembolso. Esqueci o problema, e segui em frente. E em alguns dias, o livro chegou. É óbvio que eu vou voltar a comprar com os caras. Profissionais demais!

Enquanto isso, um amigo pediu umas coisas no submarino, também no fim do ano. O prazo de entrega era de alguns dias, coisa de 7 dias. Demorou mais de um mês, chegou pela metade, eles não queriam devolver o dinheiro, enfim. Péssimo.

Por isso, temos muito que aprender ainda por aqui.

Os meus quereres

Uma das primeiras coisas que coloquei quando botei esse blog, ou o domínio, de pé, foi a wishlist.

Acho que eu criei ela pro orkut, mas também como um precursor da lista 101/1001, e pra mim ela ia servir de guia na hora de gastar dinheiro. Com o tempo, por ser uma parte estática, ela acabou ficando desatualizada. Os links foram morrendo, fui comprando as coisas que tavam nela e não atualizando.

Essa semana eu lembrei que ela existia. Fui ver e tavam quase todos os links mortos. E daí, na idéia de consertar, fui fazer uma outra wishlist, dessa vez na Amazon. Assim, a maioria dos links não vai morrer.

Fiz uma wishlist porreta. Botei nela tudo que eu quero hoje em dia. Quadrinhos, jogos, filmes, livros, algumas coisas de outros sites (uma feature interessante da amazon, por sinal), enfim. A maioria das coisas que estão no 101/1001 estão lá, e também coisas que não estão.

O link tá aqui, mas além disso, substituí o link ali do lado por um button da amazon. Eu gostei :)