O Café nosso de cada dia

Comecei a apreciar mais café de uns anos pra cá. Até porque, sendo programador, você sofre com aquele problema de ser movido a café. E como tudo que me interessa, comecei a pesquisar e conhecer mais.

Resolvi então que queria fazer um café um pouco melhor pra mim. Afinal, nada melhor que tomar um café gostoso depois do almoço ou no meio da tarde :)

Primeiro, li o post do Gizmodo: How to Actually Make Coffee, e depois disso, li em mais alguns fóruns sobre como as espresso caseiras tinham alguns problemas e me convenci de que com o orçamento atual, espresso era um no-no.

Do Lifehacker, li o Brew the Best Possible Coffee Without Breaking the Bank, que me convenceu que a prensa francesa era um bom método de fazer um café bom e barato.

A Namorada me deu uma prensa de aniversário, e aí eu comecei uma boa experimentação, com os cafés do Starbucks, que apesar de protestos em alguns fóruns sobre o tempo que ele fica parado depois de ser torrado, é muito melhor do que o café comum (embora seja overpriced!)

Sobre moer na hora: dá uma diferença mesmo. Um amigo aqui do trabalho comprou um moedor (depois de provarem o café da prensa, o pessoal daqui aderiu e compramos uma prensa um pouco maior pra fazer café aqui à tarde). Mesmo sendo um moedor de lâminas (e não um “Burr”, que é o mais recomendado pelos aficcionados.) o café moído na hora tem um gostinho mais fresco mesmo.

A temperatura do café tem um ideal. Mas eu não cheguei ao extremo de medir com um termômetro nem nada assim. O que faço, geralmente, é ferver a água, usar metade dela pra esquentar a prensa (coisa que tirei de um vídeo de uma barista, ajuda a manter a temperatura da prensa durante os 4 minutos que demora pra tirar o café), e quando você coloca de fato a água pra tirar o café, ela já esfriou um pouco e está mais próximo da temperatura recomendada (92ºC ~ 96ºC).

Usando esses detalhes, dá pra fazer um café muito bom e gastando relativamente pouco, sobrando dinheiro pra você gastar nos grãos :)

E vocês, o que tem pra contar sobre o café?

One thought on “O Café nosso de cada dia”

  1. Gostei do seu post sobre café, meu amigo. Até porque todos n´so precisamos da cafeína para trabalhar hehehe. Uma citação sua em especial [“eu comecei uma boa experimentação, com os cafés do Starbucks, que apesar de protestos em alguns fóruns sobre o tempo que ele fica parado depois de ser torrado, é muito melhor do que o café comum (embora seja overpriced!)”] me fez lembrar de algo interessante.
    Sabe por que os cafés do starbucks são ‘overpriced’? Concordo que eles são ótimos, principalmente com baunilha etc. Sempre que posso, vou até lá e tomo um café das Starbucks e do Califórnia coffee. Agora mesmo todos esses ingredientes a mais não valoriza o preço da forma absurdo pelo qual ele é cobrado.
    O que faz o café do Starbucks ser tão caro é que agregado ao seu valor do simples café existe o que eles chamam de “responsabilidade social”. Ao comprar o café da Starbucks nós pagamos também:
    – o investimento que a Starbucks faz por ano ao doar cerca de U$85.000 em projetos de desenvolvimento social.
    – Na Nicarágua, eles ajudam a construir banheiros e sistema de água na escola Modesto Armijo, que atende a 1.200 crianças de San Juan de Rio Coco.
    – A construção de clínicas, enfermarias e escolas que atendem a 5.000 pessoas nas comunidades locais da Guatemala.
    – Contribuição de U$25,000 para a organização Coffee Kids, dedicada a melhorar a qualidade de vida das crianças que vivem nas regiões de cultivo de café.
    – o apoio à organização internacional CARE, contra a pobreza mundial que junto com a Starbucks que com investimento de mais de U$2 milhões ajudam mais de 60 países cultivadores de café.
    – o convênio com a Mercy Corps, uma agência de programas de apoio ao desenvolvimento em mais de 30 países.
    – O apoio para a proteção de espécies de aves ameaçadas (Galvão Birds, Oi?) nas florestas tropicais da América do Sul que nós cruelmente devastamos.
    Ou seja, ao comprar um simples café estamos “financiando” todos esses projetos sociais e pagamos ainda por um estilo de vida ecológico que oprime milhares de trabalhadores nas fábricas. Ótimo que o produto é bom e de qualidade, mas nós pagamos caro pelo estilo de vida ecológico. Sem ele um café Starbucks médio não deveria cobrar 1/3 do que é cobrado.

    Pagamos caro porque atualmente vivemos sob as teorias de “natural capitalism” onde TUDO é um commodity . Logo pra tomar um café com baunilha temos de pagar pela opressão social causada em geral pelas grandes corporações. As mesmas grandes corporações que nos vendem este café como a Star Bucks. E o melhor ainda pagamos de super cool por isso.

    P.S. Todos os dados acima foram retirados do próprio site da Starbucks.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *