Pendrives e a falsificação

Bom, não é de hoje que pendrives são falsificados. Eu, por sorte, nunca peguei nenhum, mas é bem comum ver amigos comprando pendrives e recebendo uma falsificação de presente.

Dependendo do pendrive até dá pra ver só pelo acabamento, mas ainda dá pra achar uns que são quase iguais ao original, então o que fazer?

Dois são os fatores preocupantes nesse caso:

– O fato de, por ser falsificado, ter menos qualidade na fabricação.
– O fato de, por ser falsificado, não ter todo o espaço anunciado.

O primeiro não tem jeito, é complicado descobrir se é original, a menos que você use algo como o suporte da Kingston, onde você põe o número de série e ele te diz se é original.

Quanto ao segundo tem jeito. Existem programas que fazem a checagem do espaço físico do Pendrive para verificar se todo o espaço está funcional. Um deles é o h2testw. Preciso descobrir um software semelhante para o Linux, mas esse funciona no Windows e a idéia é bem simples:

Assim que você adquirir seu novo pendrive, você formata ele (se ele for um daqueles afrescalhados que vem com programas e tudo o mais, faça backup deles, se assim quiser), e em seguida, roda o programa. O programa então vai criar vários arquivos ocupando todo o espaço do pendrive. E em seguida, ele vai tentar ler esses arquivos para verificar se está tudo lá como deveria.

Um teste simples, mas que evita futuras dores-de-cabeça, como descobrir, depois de ter enchido o pendrive, que certos dados não estão sendo lidos corretamente.

Ainda sobre o H2testw: H2testw 1.4 – Gold Standard In Detecting USB Counterfeit Drives

One thought on “Pendrives e a falsificação”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *