As pessoas e a personificação dos objetos

Hoje vi no Kotaku um carinha comentando sobre porque será que as pessoas apertam botões de elevadores várias vezes seguidas. Já parou pra pensar? Elas estão com tanta pressa, mas tanta pressa, que elas acham que se insistirem **MUITO** o elevador vai acabar cedendo.

O mesmo vale para computadores. Há aqueles que tentam fazer o psicológico (“Ah, rapazinho, não me deixa na mão, vai..”) e há os violentos (“Maldito computador *bate* Só falha na hora que eu preciso! Maldita tecnologia”). Mas em ambos os casos, você vê claramente a tentativa de personificar uma máquina, que acredite se quiser, não faz a menor distinção sobre o seu tratamento ou sobre quanta pressa você tem.

Acho que isso tudo deve ter começado com máquinas mecânicas. Afinal, se você dá um tapa numa parada mecânica e algo tiver preso, ela solta, dando a impressão de que voltou a funcionar porque “ficou com medo”.

Uma vez, um colega de curso comentou comigo: “Impressionante esses computadores..”; Ao que respondi: “Como assim?”; E ele me disse: “Não, quero dizer: Você manda ele fazer algo e ele obedece e faz. Muito impressionante.”

Pois é. Da próxima vez que você for falar com o seu computador, lembre-se que ele não vai ligar pra você, mas se ainda assim te fizer se sentir melhor, vá em frente. Afinal de contas, cada doido com a sua mania :)

One thought on “As pessoas e a personificação dos objetos”

  1. Eu acho que isso também acontece porque durante 8 mil anos, as nossas relações de trabalho existiam apenas com outros seres humanos, basicamente. E de repente, em 2 mil anos(mais especificamente 2 séculos) surgiram milhares de máquinas que faziam o que outros humanos fazem. Mas nós ainda subconscientemente dialogamos com esses atores, achando que ainda são humanos, ou têm um pouco de característica humana.

    Mas sua idéia de achar que é medo vindo das máquinas mecânicas também é válido. ;)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *