Nerds saindo do armário

Tudo começou no fim dos anos 70. Computadores pessoais começando a aparecer, com a Microsoft e a Apple; o Atari.

Depois de um tempo, estaria estereotipado na cabeça do mundo os nerds em sua forma clássica. Em sua forma “anos 80”. O carinha que jogava videogame, vivia no porão da casa da mãe, não tinha vida social e mal sabia viver em sociedade.

Nos anos 80 era comum ver nos filmes. O cara com a calça pescando, uma gravatinha (na maioria das vezes, borboleta), com sardas e se vestindo esquisito. Esse personagem tão caricato ficou gravado na mente de todo mundo, e com isso, durante um bom tempo, ser nerd era um estigma. Afinal, ninguém queria ser aquela figura esquisita, ser perseguidos pelos atletas do colégio e evitado pelas garotas.

Os anos passaram. Videogames e computadores foram se infiltrando, pouco a pouco, na vida das pessoas. Na época do NES 8-bit, videogame era uma coisa conhecida. E mesmo que ainda fosse meio estigmatizado um adulto jogar, a maioria das crianças dessa geração jogou videogame. E essas crianças, a minha geração e a geração um pouco anterior a minha, cresceram.

Pois bem. O que acontece é que hoje em dia, os nerds estão saindo do armário. As referências pop estão cada vez mais “nerdish”, voltadas para internet, videogames, quadrinhos, mangás. Basta ver na TV. Hoje temos séries com nerds carismáticos. O nerd caricato está lá, claro, mas está também o nerd mais normal. O nerd bonitinho. O nerd que chama atenção.

Hoje em dia temos séries como The IT Crowd, série de comédia inglesa que gira em torno de uma equipe de TI com dois nerds e uma mulher. Um deles, o nerd clássico. E ela, sem entender nada de computadores.

Tem também The Big Bang Theory, Sheldon com toda sua esquisitice já é um dos personagens mais conhecidos e citados por aí.

Tem também o Video Games Live, que pra quem não conhece, é um show de músicas de videogame. Que lota por todo lugar que passa. Enquanto a música da infância da geração anterior vinha de novelas, baladas e etc, muita gente da minha geração tem na cabeça como música de infância as músicas de Sonic e de Mario.

Dá pra achar por aí posts sobre como os geeks fazem bons amantes. A B. Falou disso, me recomendou um link do Universo Nerd, e já tem uns dois anos que vira e mexe cai no digg um link pra algum blog falando de como os nerds são melhores na cama do que os ditos “caras normais”.

E aí, Geek vs Nerd? Nessa discussão eu não entro. Acho que quem entra nessa discussão é porque ainda não saiu do armário, tem vergonha de se assumir, e tenta se chamar de geek, pra afastar o estereótipo anos 80 da palavra.

Nerds do mundo, uni-vos. E saiam do armário :)

4 thoughts on “Nerds saindo do armário”

  1. Falando do nerd no sentido do cara com menos vida social que a média, é inevitável a associação dele ao cara com um bom desempenho acadêmico, especialmente na área de exatas. Este nerd é mais “inteligente” do que a média pq é mais recluso e tem mais tempo para estudar e quer se destacar em algo, ou a característica de gostar de exatas e ser inteligente trás junto a característica de ser mais recluso?

  2. Eu acho que virou moda se auto intitular Nerd .. antigamente isso era pejorativo, agora todo mundo é nerd. Acho que o termo se aplica a pessoas que gostam de Estudar e se dão bem com isso, indiferente da area. Geek é um termo mais ligado a pessoas que mexem com técnologia/ciencias (De uma visão bem ampla) e que por ex como eu, odeiam química até hoje hehe .. simplificando ..

  3. Como disse, a discussão pode durar bastante :)
    O Popsickle Strip (http://909sickle.com), por exemplo, afirma que Geeks são pessoas que tem uma certa fixação por algo que não é comum. Como por exemplo, o cara sabe tudo sobre celulares symbian, todos os modelos, fabricantes, etc.
    Já os Nerds seriam aqueles que são meio esquisitos, socialmente falando.
    Mas isso é a definição deles, e tem muitas por aí :)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *