Choque de Realidade

Por gostar de tecnologia desde quando eu consigo me lembrar, os EUA sempre estiveram, de um jeito ou de outro, próximos de mim. Seja por causa de E3, a mais conhecida feira de games do mundo, ou por causa de outras tecnologias que tenham saído de lá.

Embora eu tenha sempre tido vontade de visitar alguns lugares (como o sillicon valley, a disney, new york), nunca tive vontade de morar lá.

Andei vendo filmes sobre os EUA ultimamente, não que sejam sobre problemas que só existam lá, mas embora eu tenha vontade de morar em outro país, prefiro mudar pra um país em que os problemas me incomodem menos do que os daqui.

Vi Sicko, do Michael Moore, que é sobre o sistema de saúde norte-americano como um todo. Bom, em primeiro lugar, sei que o filme tem um certo apelo “dramático”, pelo modo como as coisas são apresentadas, pode até ter exageros, mas pelo que procurei aqui e acolá, meio por alto, as informações parecem ser verdadeiras.
Bom. E aí? o SUS é um sistema falido, mas ele funciona em algumas áreas, quem não tem como pagar plano de saúde tem alguma chance de ser atendido, mais cedo ou mais tarde.. No fim, com relação a quem não tem seguro de saúde nos EUA, acho que estamos iguais.
Já na comparação de quem tem.. Acho que talvez a gente tenha mais sorte pelo fato de que defesa do consumidor é algo bem forte por aqui. Planos de saúde em geral acho que se fizerem coisas no estilo do que é mostrado no filme, acho que era capaz de a justiça daqui funcionar nesse caso.
Nem preciso dizer o quanto fiquei com vontade de ir morar no Canadá, França ou Inglaterra depois do que vi. Sempre achei os três bons lugares, e a qualidade do sistema de saúde só me impressionou mais.

Também vi Fast Food Nation. Esse, por sua vez, não é um documentário, mas pelo que consegui coletar internet afora (não que a internet seja um recanto da verdade), é que o filme é baseado num livro, esse sim, um documentário, e que o escritor do livro estava no time que fez o filme, e tentou manter os fatos originais, só que botando uma narrativa, ao invés de fatos sobre fatos.
A verdade é que eu achei o filme meio chocante, mesmo “sabendo” de tudo que é mostrado lá.
O filme trata de alguns pontos chave: Corrupção na área alimentícia, mostrando falsos resultados sobre contaminação da carne; imigrantes ilegais usados como mão de obra muito barata e descartável, e jovens usados como mão de obra barata, embora não descartável.
Todas as partes conhecidas. Mas quando você vê tudo junto, tudo sendo mostrado aos poucos, sei lá. Dá um calafrio na espinha. Do tipo: “Cacete, onde a humanidade vai parar?”

Como disse no princípio, sei que esses problemas não são só Norte-Americanos. Lobby, Corrupção, Dinheiro acima de tudo. ?? um problema do mundo de hoje em dia. De todos os países, alguns mais, outros menos. Mas o fato é que, a mim, parece que lá a coisa é mais descarada, escancarada. E pra mim é bizarro ver que a luz de tudo isso, as pessoas ainda tem medo de um sistema de saúde integrado, por ter medo “da ameaça comunista”. Ou que elas não se importam de uns imigrantes perderem um membro. E coisas desse estilo.

Sei lá. That’s seriously fucked up.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *