#75 – Aprender Esperanto

Bom, esse outro eu já poderia ter riscado da lista há algum tempo, mas achei que como meta, era melhor riscar quando terminasse o curso básico, que fiz na KKE (Kultura Kooperativo de Esperantistoj), que terminei essa quinta, com a prova.

O Esperanto, ao meu ver, não é uma língua inútil, como muita gente pensa. Tem estimativas que dizem que entre 1 e 2 milhões de pessoas falam esperanto ao redor do mundo. São poucas? Bom, vendo que já devemos ter passado a estimativa de 6 bilhões de habitantes no planeta, sim. Mas eu acho que não é pouco, se você for pensar no número de pessoas com quem você se comunica ao longo da sua vida.

Além disso, como língua, o esperanto é um aprendizado interessante. Ao contrário das línguas normais, por ser uma língua planejada, o esperanto funciona muito mais normal, muito mais dentro do esperado.

Há quem critique dizendo que a língua não tem cultura, que isso e que aquilo. Porra. Sei que sou de exatas, e que de repente pra outras áreas isso é muito mais importante. Mas cacetópolis, num mundo onde várias pessoas são analfabetas funcionais, acho que é muito mais importante tentar pensar em alternativas do que ficar se preocupando com a cultura – ou ausência de – de uma língua.

Não sou utópico, sei que isso não vai acontecer, mas acho que o esperanto é, sim, uma língua viável como segunda língua. ??bvio que muita gente fala que o inglês hoje em dia já assume o papel de língua internacional, de certo modo eu até concordo, mas acho que é falho o ensino, principalmente no Brasil, do inglês como segunda língua. Tenho amigos que estudaram comigo que não sabem inglês, mas passaram com notas razoáveis durante todo o colégio.

Se você consegue abrir a mente e já chegou até aqui, dê uma olhada, procure saber um pouco sobre o esperanto, de repente surge o interesse. Em todo o brasil há associações e cooperativas que ensinam esperanto, muitas vezes de graça, e se tem tempo sobrando, acho que aprendizado nunca é demais.

Por fim, acho bom esclarecer que, embora muitos espiritistas ajudem a divulgar o esperanto, ele não é uma língua “de espíritas”, como é muito comum ver gente pensando.

Peço que você pense no assunto. Espero ter plantado uma sementinha aí na sua cabeça :)

??is Revido!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *