Mais uma derrota do DRM (E o que é DRM)

Pra quem não sabe, DRM é um esquema de encriptação feito para, em tese, evitar a pirataria e garantir que só quem comprou a música possa ouví-la. O problema é que no fim das contas, como acontece em todos os sistemas anti-pirataria que já vi até hoje, quem paga o pato é o cara que quer ser honesto.

No DRM quando você troca de computador (acho que na verdade mudanças significativas de hardware também influenciam – trocar uma placa de vídeo, etc), ou quando você muda de SO (quando por exemplo você tem que formatar o windows porque pegou um vírus), você tem que “reemitir licenças” DRM. Isso significa que você precisa se conectar com o servidor onde comprou as músicas e pedir uma reemissão, para que você possa ouvir novamente suas músicas.

Porém, você poderia fazer isso de N diferentes computadores, passar pros seus amigos as músicas e eles fazerem isso e tudo mais. E isso é o que o DRM quer evitar: pirataria. Então o que o DRM também possibilita é que o cara que te vende a música defina um número máximo de vezes que essa licença possa ser reemitida. Digamos 3, por exemplo.

Então é assim, depois de três vezes, você vai ter uma danada de uma dor de cabeça pra conseguir fazer sua música tocar outra vez (entrar em contato com o site que vendeu e tudo o mais).

E se, como acontecerá esse mês com o Yahoo Music, o servidor fechar? Sair de negócio?

?? isso mesmo, bye, bye pra você. Na verdade, você tem a alternativa de gravar as músicas em cd e daí retransformá-las em Mp3. Porém, o Mp3(ou no caso do DRM o WMA) não é um formato sem perdas, o que quer dizer que quando se converte de um cd para Mp3 você perde um pouco de qualidade, assim como acontece quando você tira uma xerox. Agora, se você tem algo em WMA, daí grava em CD você está gravando em cd uma música que tem a qualidade um pouco degradada, já que ela foi copiada de um cd original, porém, ao retransformar essa música em mp3, é como se fosse uma xerox da xerox, começam a acontecer ruídos e tudo o mais.

No fim das contas, quem sofre é o cara que teve o cuidado de comprar a música legalmente pra poder dar um suporte pro artista que ele gosta.

E isso sem contar a falta de oportunidade de usar DRM no Linux, por exemplo.

Sempre fico impressionado como a indústria, que tem várias pessoas bem pagas tomando essas decisões que vão movimentar milhões, toma decisões que uma criança de 10 anos conseguiria ver que é uma estupidez sem tamanho.

Viva a Amazon e Apple Store, por exemplo, que desistiram da burrice a tempo e começaram a vender músicas em formato Mp3. Melhor perder uns poucos clientes com pirataria do que perder todos porque o que você vende não funciona bem, não?

One thought on “Mais uma derrota do DRM (E o que é DRM)”

  1. então o que pode fazer alguem que baixas as musicas ,então passam para o MP4. as msuicas que ficam como drm …
    somente funcionarão . se você podesse me ajudar
    gostaria muito. obrigado..

    rayane

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *