Windows Vs Linux, Código Aberto e etc.

A batalha de Windows contra o Linux começou não tem muito tempo. GNU/Linux, pra ser mais correto. Em primeiro lugar, vamos estabelecer o que é cada coisa, afinal de contas, não é todo mundo que é nerd que nem eu, e portanto, não é todo mundo que entende a situação.

Windows – Esse todo mundo conhece, né? O Windows é o sistema operacional mais conhecido há alguns anos, é produzido pela microsoft e já deve estar por volta de sua 7ª versão (se considerarmos as versões não-NT, mas isso é uma outra história) . A microsoft ganhou muito campo fazendo com que o Windows fosse distribuído com as máquinas, há alguns anos, TODAS as máquinas do mercado vinham com Windows, o software saía assim mais barato pro distribuidor que vendia seu computador já “pronto pra funcionar” (em teoria, of course.

GNU/Linux – Embora as pessoas pensem o contrário, o GNU/Linux não é UM sistema operacional. Não existe só um “Linux”. GNU/Linux é encontrado em diversas distribuições. Distribuições são pacotes de diferentes softwares, feitas por pessoas diferentes, e cada uma feita com uma aproximação diferente. Como assim, bial? Simples: Tem distribuições, como o Ubuntu por exemplo, que são voltadas pra serem o mais fáceis de botar rodando possível, outras, como Gentoo, são voltadas pra você ter controle total sobre o que está rodando na sua máquina. Algumas são ditas “a prova de tolos” (foolproof), porque rodam, independente do nível do usuário. E se você quiser saber o porque de GNU/Linux, veja aqui.

Pois bem, agora que eu já dei uma mínima introdução ao assunto, vamos ao que interessa. O GNU/Linux anda se popularizando com o passar dos anos, o porque? Aos poucos surgem distribuições que são mais amigáveis ao usuário, mais fáceis de utilizar, e o GNU/Linux começou a sair do meio Nerd/Geek pra alcançar mais usuários comuns.

Aqui no Brasil por exemplo, lojas como Ponto Frio e Casas Bahia vendem computadores com GNU/Linux por uma questão de economia, como a maioria das distribuições são gratuitas, é mais barato botar GNU/Linux nas máquinas do que Windows. E isso só era impossível antes por que não haviam muitas distribuições user-friendly.

Pois bem, só que temos um pequeno(pequeno?) problema. Softwares grandes (como Adobe Photoshop), tem seu código otimizado para funcionar para Windows. Provavelmente em alguns momentos se aproveitando de alguns bugs conhecidos do Windows para obter mais desempenho, e passar esse código todo para uma nova plataforma é trabalhoso e provavelmente caro (por que seriam necessários novos programadores para cuidar dessa nova versão) e portanto, a Adobe não está lá muito interessada nisso.

E como resolver isso? Bem, existem várias alternativas pra grandes softwares com código aberto, mas óbvio: eles não são iguais aos originais. E as pessoas não gostam, não estão acostumadas com mudanças. Mudanças dão trabalho, você precisa aprender novas coisas, precisa deixar velhos hábitos pra trás, e as pessoas não gostam disso. Elas preferem a segurança de continuar usando algo que elas já tem conhecimento, que elas já tem experiência. Você mesmo provavelmente já preferiu isso, se é que ainda não prefere.

A discussão se o Windows vai cair e GNU/Linux vai reinar é uma questão meio vazia em alguns momentos por causa disso. Depende mais das pessoas do que dos softwares em questão. Eu, por exemplo, preferi mudar para GNU/Linux porque não gostava do modo como o Windows sobrecarregava meu sistema e dava erros aparentemente sem motivo. Gosto da idéia de estar usando software com código aberto, de modo que se um dia eu estiver usando ele e der um problema eu, como programador, possa ver o código e de repente achar uma falha, corrigir e submeter de volta pro projeto original, de modo que possa me orgulhar de dizer “Puxa, isso agora vai dar menos problemas pras outras pessoas.”

Mas não me entendam mal, eu ainda uso Windows (infelizmente) no trabalho, porque aqui mexemos com DRM (digital rights management, tecnologia proprietária da microsoft) e portanto preciso estar no Windows para fazer algumas coisas, muito embora preferisse estar num pc com GNU/Linux aqui.

Eu, pessoalmente, pretendo divulgar meus softwares pessoais junto com seus respectivos códigos, de modo que as pessoas possam alterar o que acharem necessário, para seu próprio uso. Mas nem todo mundo é assim.

O que eu digo é simples, toda experimentação é válida. Vai lá, peça um cd do Ubuntu(na verdade, recomendo que seja um do Kubuntu), experimente sem instalar, veja como ele não é um bicho de sete cabeças, e se você gostar, aí sim, instale, procure softwares que satisfaçam as suas necessidades. Se você for um programador, procure ajudar em projetos, ou se não encontrar um projeto que lhe interesse, crie um, divulgue-o. Ajude a aumentar a base de softwares do GNU/Linux. Assim você contribuiu mais do que discutindo em fóruns pela internet ou no Digg.

E por favor, crianças, não sejam fanboys, pra nenhum dos dois lados. Isso é muito feio.

One thought on “Windows Vs Linux, Código Aberto e etc.”

  1. Na verdade pode pedir cds do Kubuntu E do Ubuntu, dai já vê se gosta mais do Kde ou do Gnome logo de cara.

    Mas muito bom o post. ^_^

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *